quinta-feira, 29 de maio de 2008

LÍNGUA PORTUGUESA

APENAS A LÍNGUA PORTUGUESA NOS PERMITE ESCREVER ASSIM!...

Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor Português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque preferiu pintar Panfletos. Partindo para Piracicaba, pintou prateleiras para poder progredir.
Posteriormente, partiu para Pirapora. Pernoitando, prosseguiu para Paranavaí, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulo pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas. Pálido, porém personalizado, preferiu partir para Portugal para pedir permissão para papai para permanecer praticando pinturas, preferindo, portanto, Paris. Partindo para Paris, passou pelos Pirineus, pois pretendia pintá-los. Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se, principalmente pelo Pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potrancas. Pisando Paris, pediu permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se. Profunda privação passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, pretas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo... - Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses. Paris! Paris! Proferiu Pedro Paulo.
- Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir. Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém Papai Procópio partira para Província.
Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para Papai Procópio para prosseguir praticando pinturas. Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal.
Porém, Papai Procópio puxando-o pelo pescoço proferiu: - Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pinduca pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias? - Papai, - proferiu Pedro Paulo - pinto porque permitistes, porém, preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal. Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profissão.
Perfeito: Pedreiro! Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando. Primeiro, pegaram peixes pequenos, porém, passando pouco prazo, pegaram pacus, piaus, piabas, piaparas, pirarucus. Partiram pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro. Pisando por pedras pontudas, Papai Procópio procurou Péricles, primo próximo, pedreiro profissional perfeito. Poucas palavras proferiram, porém prometeu pagar pequena parcela para Péricles profissionalizar Pedro Paulo.
Primeiramente Pedro Paulo pegava pedras, porém, Péricles pediu-lhe para pintar prédios, pois precisava pagar pintores práticos. Particularmente Pedro Paulo preferia pintar prédios. Pereceu pintando prédios para Péricles, pois precipitou-se pelas paredes pintadas.
Pobre Pedro Paulo pereceu pintando...

Permita -me, pois, pedir perdão pela paciência, pois
pretendo parar para pensar... Para parar preciso pensar.
Pensei. Portanto, pronto: Pararei!


E ainda há quem se ache o máximo quando consegue dizer: "O Rato Roeu a Rica Roupa do Rei de Roma."!!!

300


Obrigado por visitar esta página e ter contribuido para as mais de 300 visitas.


Obrigado

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Água

Eu pelo menos não esperava encontar aqui vinho..... mas cada um é que sabe....


quinta-feira, 22 de maio de 2008

Carreira











terça-feira, 20 de maio de 2008

Nacionalidade de ADÃO E EVA

DE ONDE ERAM ADÃO E EVA?

Um alemão, um francês, um inglês e um português comentam sobre um
quadro de Adão e Eva no Paraíso.

O alemão disse:
- Olhem que perfeição de corpos: ela esbelta e esguia, ele com este
corpo atlético, os músculos perfilados... Devem ser alemães.

Imediatamente, o francês reagiu:
- Não acredito. É evidente o erotismo que se desprende de ambas as
figuras... ela tão feminina... ele tão masculino... Sabem que em breve
chegará a tentação... Devem ser franceses.

Movendo negativamente a cabeça, o inglês comenta:
- Que nada! Notem... a serenidade dos seus rostos, a delicadeza da
pose, a sobriedade do gesto. Só podem ser Ingleses.

Depois de alguns segundos mais de contemplação, o português exclama:
- Não concordo. Olhem bem: não têm roupa, não têm sapatos, não têm
casa, só têm uma triste maçã para comer, não protestam e ainda pensam
que estão no Paraíso. Só podem ser Portugueses!!!

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Vários 2º

Quem é que deu o p p pincel ao gago??
Via com trânsito alternado....Só falta o sinal de contornar placa ou obstáculo
Esta é a Garagem do K.I.T.T. porque só voando entra nesta garagem.

Várias

GNR no Iraque...
O Jantar está Servido...
De Pequenino se começa...
Caloteiro...

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Saúde em Portugal.

Enquanto algumas das maternidades estão a fechar ...


Maternidade Alfredo da Costa



Maternidade Júlio Dinis



Outras Maternidades estão a abrir ...

Maternidade Correia de Campo


Helicóptero com nascimento a bordo nos Açores
Mãe e bebé encontram-se bem de saúde


Os novos helicópteros EH-101 Merlin, que operam no arquipélago dos Açores, já registaram um nascimento a bordo. Uma menina nasceu, este sábado, entre as ilhas de Santa Maria e São Miguel.

Segundo anunciou a Força Aérea Portuguesa, a mãe e a bebé, que foram assistidas por uma equipa médica da Unidade de Evacuações Aéreas do Hospital do Santo Espírito, em Angra do Heroísmo, encontram-se bem de saúde.

Outros nascimentos deram-se a bordo de helicópetros da FAP nos Açores, os SA 330 PUMA, os helicópteros que os Merlin vieram substituir a partir de 30 de Outubro de 2006

A mesma fonte, citada pela RTP, adiantou que o EH-101 Merlin transportou, também no sábado passado, entre as ilhas do Faial e São Miguel, um recém-nascido com 48 horas e uma jovem de 16 anos, de São Jorge para a Terceira.

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Obras em Portugal...

Obras em Portugal...
Mas será que custava muito esperar um bocadinho? Já que ficam tanto tempo sem fazer nenhum, esperavam só mais um bocadinho...


...
... e não é que continuaram...

...
... ainda gostava de saber como é que ele(a) fez para sair !?

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Nunca mais empresto o carro à minha mulher…

Um dia da semana passada minha mulher chegou ao pé de mim e disse-me: “Amor, vai à farmácia e traz-me um medicamento para as minhas dores de cabeça!”.

Como aqui o Engº não é nenhum pau-mandado e na altura até estava ocupado a fazer algo tão másculo como ver o SLB perder mais um jogo, disse-lhe que não podia…

Ela replicou, num tom muito dela, de quem está habituada a respeitar e mostrar reverência ao marido:
“Então dá-me as chaves do carro, que eu própria lá vou, seu inútil!”.

Uma vez que ultimamente as dores de cabeça lhe têm dado noite-sim-noite-sim, ela pediu com bons modos, e eu ainda tinha o olho à Beleneses devido a um soco que ela me deu da última vez que lhe dei uma nega, eu lá resolvi ceder e deixá-la levar o carro…
E ela lá saiu pela porta fora a resmungar coisas como: inútil...nunca faz nada...tenho que ser sempre eu a fazer tudo...etc...

Hoje estou muito arrependido de lhe dar as chaves:


Parvalhão

Ás vezes tentamos defenir as pessoas pelas sua atitudes.
Mas, como é que se define um PARVALHÃO?
A Frase: "Uma imagem vale mais que mil palavras" aplica-se nesta situação.
O que é um Parvalhão??
Veja a seguir....


sexta-feira, 9 de maio de 2008

Marca 200



Obrigado a todos os que visitaram este blog.
Já ultrapassamos a marca das 200 visitas.
Obrigado

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Saúde em Portugal

É este o país que temos:

Esta notícia é de 17/04/2008 e retrata bem o estado em que os politicos deixaram a saúde em Portugal.
Cortes na Saúde e encerramento de hospitais e urgencias.

[quote]
http://jn.sapo.pt/2008/04/17/norte/quatro_horas_morto_dentro_ambulancia.html


Quatro horas morto dentro de ambulância do INEM



Ambulância de socorro do "112" ficou parada com uma vítima morta no interior durante toda a manhã da passada segunda-feira


Palavras como "revolta" ou "indignação" são pouco para descrever o sentimento que atingiu uma família de Loureiro, Peso da Régua, depois de um homem de 49 anos ter estado quase quatro horas morto dentro de uma ambulância de socorro do INEM, à porta do posto da GNR daquela cidade.

Manuel Ferreira, funcionário de escritório, começou a sentir-se mal a meio da noite. O sogro da vítima, Aurélio Cardoso conta "por volta das três e meia da manhã, o meu genro queixava-se de dores no braço esquerdo e no peito. Como a minha filha se apercebeu que não lhe passava e estava cada vez pior, ligou para o 112. Veio a ambulância do INEM, que pertence aos bombeiros da Régua, mas depois mandaram parar a ambulância e esperar pela VMER. Esteve assim quase uma hora e morreu". Aurélio Cardoso não sabia, no entanto que o "pior ainda estava para vir. Mandaram esperar a ambulância no posto da GNR, esteve lá desde por volta das oito da manhã até depois das 11 e meia, morto, ao calor e a minha filha e o meu neto mais velho a serem interrogados como se fossem alguns criminosos. Não têm consideração nem pelos mortos nem pelas famílias que estão a sofrer", desabafou.

José Costa, presidente da junta de freguesia de Loureiro e amigo da vítima não se conforma "era jovem, trabalhador, bom chefe de família. Vivia a sete minutos do Hospital da Régua, podia estar vivo se não tivessem fechado as Urgências. Mandaram os bombeiros esperar pela VMER à entrada do túnel da A24. Esperaram lá quase uma hora", refere. Manuel Ferreira esteve dentro da ambulância entre as oito horas e as 11:45 horas, conforme confirmaram ao JN, fontes dos bombeiros e da GNR. Ao que apurámos foi o tempo necessário para o delegado de saúde confirmar o óbito e o Ministério Público se decidir pela realização da autópsia. Depois o corpo foi transferido para outra viatura e transportado para o Instituto de Medicina Legal de Vila Real, libertando a ambulância em causa para outros eventuais serviços.

O JN tentou obter esclarecimentos sobre este assunto junto do INEM e também no Ministério da Saúde, mas tal não foi possível até à hora do fecho desta edição. O INEM acabou por remeter explicações para o dia de hoje



http://jn.sapo.pt/2008/04/17/norte/tunel_virou_hospital.html

Túnel virou hospital


Aqui, como noutros locais, bombeiros e VMER (Viatura Médica de Emergência e Reanimação), tripulada por um médico e enfermeiro)costumam ir ao encontro uns dos outros. Acontece que "depois de entrarem na auto-estrada fica uma viatura em cada sentido, pelo que a solução passa por mandar a ambulância aguardar antes de entrar no túnel. A VMER dá a volta na saída de Peso da Régua e vai socorrer as vítimas", conforme explica o comandante dos bombeiros da Régua, António Fonseca. Tudo isto a cerca de um quilómetro do Hospital D. Luís I. O comandante recusa-se a "entrar em polémicas", mas sempre vai dizendo que "algumas pessoas já dizem que agora o hospital é no túnel". Desde que encerrou o Serviço de Atendimento Permanente da Régua, os transportes urgentes feitos pelos bombeiros locais aumentaram de cerca de 15 para uma média de 120 por mês.


Comentários de amigos e conhecidos do falecido:

http://www.gforum.tv/board/20/198739/veloce33-sem-palavras/index5.html

.

Mulher ao volante...

Há sempre quem diga mal da condução das senhoras.
E há sempre aquele engraçadinho que vem com a frase:

"Mulher ao volante, perigo constante".

Será que é mesmo assim?
Veja as fotos abaixo e depois deixe o seu comentário...

domingo, 4 de maio de 2008

Equívoco

Primeiro veja a foto, se não perceber o "equívoco", leia o texto abaixo...




Se contar, ninguém acredita...
Estes homens estão a instalar pilares de ferro num passeio em Lisboa, para impedir o estacionamento de carros em frente a um bar.
No momento desta foto eles já terminaram o trabalho e estão a limpar o passeio.

Olhe atentamente a foto e responda à pergunta abaixo:

Quanto tempo acha que eles vão demorar até se aperceberem onde está estacionada a carrinha deles?

Sente-se e Medite


Se você tem um problema que parece não ter solução,que o irrita, sente-se em cima do problema e pense no melhor modo de se livrar dele...

Concorda com a instalação de Portagens nas SCUTS

Google

ULTIMAS NOTICIAS

ULTIMAS NOTICIAS

Diário de Notícias

Jornal de Notícias

Publico.pt Última Hora